18 de abr de 2015

Crueldade: Prefeitura de São Bernardo corta merenda das nossas crianças!


Desde 5 de fevereiro as crianças que estudam na rede municipal de São Bernardo não possuem mais café da manhã e almoço. O corte vem prejudicando a alimentação de 85 mil crianças do município.
Chamada a câmara de vereadores para justificar a medida, Creuza Repulho, Secretária de Educação da cidade, tentou justificar o injustificável com um argumento mentiroso e ofensivo: afirmou que a medida é para conter a obesidade infantil!
Sabemos que o corte da merenda, substituída por alguns biscoitos e um copo de leite, não tem como objetivo cuidar da saúde de nossas crianças, mas sim cortar as verbas para a educação, para seguir pagando banqueiros, empreiteiras e empresas de ônibus que sugam o município. Ou seja, para privilegiar os ricos à custa do povo. Mas dessa vez o ajuste foi longe demais ao tirar comida da boca das nossas crianças.
Para piorar, o prefeito Luiz Marinho convocou militantes do PT e trabalhadores comissionados para aplaudir Creuza Repulho e suas lamentáveis explicações na câmara de vereadores. Os “bajuladores” lotaram o auditório, impedindo a presença de várias mães que haviam ido para protestar contra a medida. Por outro lado, não faltou hipocrisia aos vereadores do PSDB, PPS e companhia, que falam como se fossem amigos do povo, mas onde governam, como no estado de SP, a educação está o caos, com salas superlotadas, demissão de professores e falta d’água.
Militantes do PSTU e do Movimento Mulheres em Luta, entre elas avós e professores de crianças afetadas pelas medidas, foram a câmara protestar e prestar solidariedade e apoio às mães em luta. Eles se retiraram da câmara ao ver que havia um circo montado para aplaudir uma ação tão inescrupulosa do governo e se juntaram às mães do lado de fora do plenário buscando organizar os próximos passos dessa luta. Àqueles que não querem que nossas crianças comam, responderemos com organização, união e luta!
“Hoje não é possível resolver nosso problema aqui, pois de um lado estão bajuladores e de outro, oportunistas de direita que se tivessem no governo fariam o mesmo. Precisamos nos reunir, juntar as mães, professores e fazer uma luta, pois é a única linguagem que eles entendem”. Afirma Professor Fernando da Vila São Pedro.