29 de ago de 2013

30 de agosto, dia nacional de paralisações, terá protestos também no ABC



Essa sexta, dia 30 de agosto, é dia nacional de paralisações definido pelas centrais sindicais após as mobilizações de 11 de julho. No ABC haverá mobilização de sindicatos ligados à Central  CSP-Conlutas como professores das escolas estaduais e paralisação dos servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do ABC, sendo que a ação desses últimos é parte de uma mobilização nacional da categoria em conjunto com trabalhadores de universidades federais de todo o país que lutam contra a privatização dos Hospitais Universitários, pela ampliação da democracia e por políticas e qualificação profissional e reposição salarial.
Além disso, ação dos estudantes ligados à Assembleia Nacional dos Estudantes Livre – ANEL deve esquentar o dia em Santo André. Alunos e professores de escolas como Américo Brasiliense, ETE Júlio de Mesquita, Galeão Carvalhal e Waldomiro Guimarães pretendem fazer um protesto pelo Passe Livre na cidade com concentração em frente ao Colégio Américo Brasiliense a partir das 8h e saída em passeata até o terminal Santo André.  Após o protesto ontem em São Bernardo do Campo os organizadores acham que a ação em Santo André deve ser fortalecida. Rafael Nascimento da ANEL aponta que “o fato de os vereadores sequer acolherem nosso projeto de lei e recusarem uma audiência pública mostra que nós estudantes só temos uma saída que é ir à luta direta, nas ruas. Só assim arrancaremos conquistas”.

A importância da unificação das lutas

Lígia Gomes, trabalhadora da UFABC e militante do PSTU, disse que espera que a CUT e a Força Sindical organizem outras mobilizações de trabalhadores na região. “Com uma parte dos metalúrgicos, os petroleiros e bancários em campanha salarial, essa é a hora de unificar as lutas, barrar os ataques e ampliar as conquistas. Em relação ao PL 4330, que permite a terceirização quase completa de qualquer atividade e contra o qual a CSP-Conlutas e outras centrais se mobilizaram no dia 6, o governo e o congresso se recusaram a tirar da pauta, então levar os trabalhadores às ruas e aumentar a pressão é a única forma de barrá-lo.” Lígia ainda completa com um exemplo emblemático da atualidade: “Episódios como o que vimos ontem da não cassação do mandato do deputado Natan Donadon, preso por corrupção, preso por roubar o dinheiro dos trabalhadores, mostram que não há outro caminho, não há negociação possível, só a luta é possível e viável nesse momento”. 

Veja aqui o vídeo do PSTU ABC falando sobre a importância de mobilizar no dia 30: