3 de ago de 2012

Câmara de Vereadores de São Bernardo mais uma vez mostra que não serve para os trabalhadores


O PSTU-ABC vem a público repudiar e denunciar a câmara dos vereadores de São Bernardo do Campo por, em meio à maior greve dos servidores federais dos últimos anos, homenagear a Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, uma das principais responsáveis pela política de arrocho salarial e precarização dos serviços públicos que tem sido implementada pelo governo Dilma.

O fato torna-se mais grave ainda pela posição apresentada pelo Ministério do Planejamento de adiar sistematicamente as negociações com os grevistas ao mesmo tempo em que ataca o direito de organização e greve ao determinar o corte de ponto, autorizar a substituição de servidores grevistas por outros e, em sua mais recente manobra antidemocrática, assinar um acordo com o PROIFES, um “sindicato” pouco representativo (representa sete das 59 universidades federais) e dessa forma encaminhar alterações na carreira e remuneração dos docentes das universidades que foram rejeitadas em quase todas as assembléias da categoria nas Universidades e Institutos Federais, em sua maioria representados pelo ANDES-SN e Sinasefe.

Por isso afirmamos que essa homenagem é a mais categórica prova de que o PT, partido do vereador Toninho da Lanchonete que propôs a homenagem e da própria Ministra do Planejamento, não governa para os trabalhadores, mas para os patrões, os empresários e banqueiros, que é a quem interessa o arrocho salarial, a piora das condições de trabalho e os ataques ao direito de greve e organização.

No entanto, a responsabilidade sobre a homenagem não recai apenas sobre o PT, mas sobre a própria câmara de vereadores em seu conjunto. Essa é apena mais uma das medidas que mostram que de representante da população os vereadores não têm nada. Pra começar, lembremos que os vereadores aprovaram em junho de 2011 o aumento de mais de 60% em seus salários, passando de R$9.288,00 para absurdos R$15.031,76.  Depois teve a reforma da câmara que consumiu mais cerca de R$30 milhões. Se todo o dinheiro e tempo despendidos pelos vereadores em benefício próprio ou em homenagear quem ataca os trabalhadores, fosse utilizado em benefício dos trabalhadores que constroem nossa cidade, poderíamos hoje ter mais creches para as crianças, melhores escolas, equipamentos de saúde mais adequados e um transporte público de muito mais qualidade e mais barato.