11 de jun de 2012

Nota do PSTU de apoio à greve da UFABC e à greve das federais!


O PSTU-ABC vem manifestar todo o apoio e solidariedade à greve dos docentes, servidores técnico-administrativos e estudantes da UFABC.
Nosso partido esteve nas lutas por uma Universidade pública, gratuita e de qualidade no ABC desde os anos 90 e participou ativamente da campanha em defesa de 10% do PIB já para e Educação, cujo ponto alto foi o plebiscito realizado no fim do ano passado.
Agora vivemos mais um momento crucial para a educação brasileira, que é a luta das universidades federais por mais recursos, por contratação de professores e funcionários com boas condições de trabalho, por infraestrutura adequada, por assistência estudantil.
Não é uma luta fácil, uma vez que confronta o projeto do governo Dilma cuja prioridade segue sendo a mesma de Lula e FHC antes dela: garantir que a maior parte do orçamento federal seja destinada aos grandes banqueiros e especuladores mundiais por meio do pagamento dos juros da dívida pública (47% do orçamento previsto para 2012). Sobrou pra educação aproximadamente 3,18% do orçamento previsto, mas já em fevereiro foram cortados mais dois bilhões. Um agravante é que não apenas o governo não gasta com a educação pública, como também não arrecada os impostos da educação privada, na prática, concedendo aos tubarões do Ensino Superior um apoio que nega às instituições federais. Esse é um dos papéis do PROUNI, e é isso que o governo do PT está tentando fazer com a MP559 ao propor o perdão de 17 bilhões de dívidas de instituições privadas em troca de “vagas ociosas” para os próximos 15 anos.
Nós do PSTU defendemos ampliação do investimento público na Educação, com aplicação de 10% do PIB imediatamente. Defendemos que o dinheiro público deve ir pra educação pública. Defendemos ainda que educação é um direito, não uma mercadoria, e por isso deve ficar fora das práticas de mercado, que visam o lucro. Nós compreendemos que a luta dos docentes por plano de carreira, dos servidores técnico-administrativos por reajuste de salário e benefícios, e dos estudantes por melhores condições de estudo e assistência estudantil é uma luta que vai no mesmo sentido da luta pela educação que defendemos. Mais ainda, achamos que o método de luta, as greves, manifestações e outras formas de ação política são o método privilegiado para construir uma educação democrática.
É por tudo isso apoiamos e convocamos a população a apoiar o movimento grevista das universidades federais.